8.8.07

Poder e sucesso, justiça e santidade

Por Jung Mo Sung

A nossa esperança e o nosso testemunho não podem ser fundados na fé em Deus-poder ou na divinização de alguma pessoa, grupo social ou instituição. A fé cristã nos apresenta um caminho inverso: ao invés da divinização de um ser humano muito poderoso ou de alguma instituição social (como o mercado) ou religiosa – proposta sedutora de muitas religiões e ideologias sociais –, o Evangelho de Jesus nos propõe um Deus que se esvazia do seu poder divino para entrar na história como escravo, e como escravo se assemelhar ao humano (Filipenses 2.6,7).

Deus se revela no esvaziamento do poder para mostrar que o poder e o sucesso não são sinônimos da justiça e da santidade. Pessoas ou igrejas que se consideram justas e santas porque são ricas e/ou poderosas ou porque têm muito ibope não conhecem a verdade sobre Deus e sobre o ser humano. Não é a riqueza que lhes dá dignidade e justifica a sua existência; a nossa existência está justificada e nós somos dignos antes da riqueza, poder ou sucesso, pois nós somos justificados pela graça de Deus que se esvaziou do poder porque ama gratuitamente a toda a humanidade e a toda a criação.

Essa fé e esperança podem ser experienciadas quando perseveramos na nossa opção pelos pobres e por uma Igreja mais servidora do Povo de Deus, mesmo quando a contabilidade de nossa luta e a frustração pessoal nos diz que não há mais por que esperar. No momento em perseveramos somente porque amamos é que podemos testemunhar esta esperança que é a esperança cristã, que nasce da morte na cruz de um Deus encarnado.

______________
Jung Mo Sung é professor no Programa de Pós Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo e concentra suas pesquisas na relação entre teologia/religião – economia – educação.

10 Comments:

Blogger Luiz Antonio said...

Este comentário foi removido pelo autor.

5:29 PM  
Blogger Luiz Antonio said...

Perseverar, perseverar eis a solução!
... quem faz parte dos sete mil, levante a mão?
O Mestre disse:"Vocês são capezes de beber o cálice que Eu vou beber?"
Se é beber algo para conseguir esta concessão (de assentar-se ao Seu lado), a resposta veio de pronto: "Sim, somos capazes!"
O ministério está completo, o que será de mim? (diziam os outros discípulos) As indagações estão como torrentes na cabeça dos "amigos" sem cargo ministerial (de destaque), afinal aqueles sagazes usaram até a mãe!
Mas, o turbilhão de devaneios foi interrompido pela sentença: "É certo que vocês beberão deste cálice", disse o Mestre; "mas o assentar-se a minha direita ou minha esquerda não cabe a Mim conceder".
A conclusão é taxativa, as nações têm dominadores e dominados; "as pessoas importantes exercem poder sobre elas".
O que vemos hoje está plenamente em concordância com estas palavras, pois um aviso aos incautos: "Não será assim entre vocês"; " e quem quer ser o primeiro deverá ser escravo; como o Filho do homem que não veio para ser servido, mas para servir..."
Paz, aguardo no Senhor!

5:33 PM  
Blogger Mamanunes said...

Deus se revela no esvaziamento do poder ...

Graça e paz!

5:05 PM  
Blogger Fox (Gilson Rodrigues) said...

Pr., Suas palavras sobre o esvaziamento de Deus tem muito me edificado, tenho usado teu blog como estudo particular e tem sido uma benção, DEus te abençoe muito.Paz de Cristo.

7:46 PM  
Blogger ansof7 said...

Era bom se realmente os pastores pensassem assim!!! Pregassem isso mas realmente vivessem!!! Aki no Ceará chamamos isso de evangelho do jumentinho, coisa linda... mas quase sempre naum é assim... tenho esperança nesse evangelho mas naum em quem o fala!!! Vamos tentar + né, sempre e adiante! Q Deus nos abençoe e nos guarde.

10:30 AM  
Blogger Maya said...

Muito bom, esse texto. Vou publicá-lo no meu blog. É isso, é isso, sim. Que coisa mais linda.

Um abraço fraterno,

Mayalu Felix

7:44 PM  
Blogger Henry said...

será que esta relacionado a isso, Quando Paulo pede para que Deus retire o espinho em sua carne e Deus lhe diz não por 3 vezes e diz ainda a Pauloq ue é na fraqueza dele que Deus se mostra o Forte

5:28 PM  
Blogger Osiel Varela said...

Já havia comentado em outro post, mas vou repetir pois é apropriado para este novo post.
Eu acredito realmente no Poder, Poder de Deus.
Mas em toda a história bíblica este Poder, sempre é usado a favor do benefício final daqueles que amam a Deus, pelo que ele é e não pelo que ele pode dar.
Amor sem restrições, é o que Deus quer.
Não "amor" negócio, escambo; eu tenho isto (Poder)e troco contigo pelo que vc. tiver.
Vai aí o comentário repetido, acompanhado pelo trecho acima:
"Kenosis tem sido um assunto muito inquietante no meio da Igreja e provocador de muitas fugas da sua discussão, como fôssemos arranhar a divindade de Deus ou do Seu próprio Filho Jesus Cristo, declaradamente esvaziado para assumir a forma de servo (antropodeo ex - um termo que me surgiu agora, mais instigante).
Lendo Exôdo 19 e 20, vemos um Deus extremamente despido (kenosis) de sua suserania, para ser adotado à seu pedido por um povo que libertara do Egito;(inserção nova:uso do Poder de forma gratuita, para mantença da Promessa exarada em um Pacto).
Posicionando-se de forma tão simples que pode ser escolhido ou não, submetido ao sufrágio das "urnas" hebraicas.
Em I Cr. 17.1-6, temos um Deus que literalmente "gosta de comer poeira do deserto junto com seu povo";extremamente simples e despido de qualquer necessidade de "status", simples de tudo:"eu por acaso pedi ou reclamei para mim uma casa, eu gosto é de andar com vocês, do jeito que vocês sofrem eu sofro, nós somos um só...vc's não se lembram do acerto do Sinai?"(não usar o Poder para conquistar um direito, mas receber de forma livre, o direito que já era seu)
Daria arrepios em muita gente, no meio evangélico!
Ele não necessita do Poder para declarar-se nada além do que Ele É: Eu Sou o que Sou!pois sabe que é e o que sempre será:Deus, isto é Todo Poder lhe pertence!"
Com algumas novas inserções.
Fraternalmente em Cristo

11:37 PM  
Blogger Rute Elias said...

Como estudante de Turismo e missiologa, fico muito feliz em poder ver o povo de Deus discutindo assuntos contemporâneos como a solidariedade e o social. Criei um Blog e uma comunidade afim de discutir este tema. Estou fazendo minha monografia com o tema: Turismo Solidário.

Visite o Blog e a comunidade Turismo Solidário:
http://turismosolidarioemong.blogspot.com/
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=87212560

1:53 PM  
Blogger Hevandro said...

ÓTIMO ESTUDO!

6:57 PM  

Postar um comentário

<< Home


Ed René Kivitz
Pastor da Igreja Batista de Água Branca (São Paulo), autor e conferencista.
+ Saiba mais


LANÇAMENTO

Os artigos reunidos neste livro não são expressões de rebeldia à ortodoxia cristã, mas de inquietude diante de uma Igreja que...
+ Saiba mais


BEST-SELLER
Vivendo com propósitos apresenta a resposta cristã para o sentido da vida. Tomando como ponto de partida a afirmação de que Deus criou o homem...
+ Saiba mais


-----------------------------------------
  • BOSCH, David. Missão transformadora: mudanças de paradigmas na teologia da missão. São Leopoldo, RS: Sinodal, 2002.

  • XI Semana de Estudos de Religião - Fundamentalismos: discursos e práticas

    PRELETORES: Diversos
    DATA: 2 a 4 de outubro
    LOCAL: São Paulo (SP)
    Para saber mais, clique aqui!
  • "A missão é o sim de Deus ao mundo; a participação na existência de Deus no mundo. Em nossa época, o sim de Deus ao mundo revela-se, em grande medida, no engajamento missionário da igreja no tocante às realidades de injustiça, opressão, pobreza, discriminação e violência."
    David Bosch
  • Clique aqui para conhecer minha igreja. Você é nosso convidado!

Cadastre seu e-mail:

powered by Bloglet

 

 
....Copyright © 2006 Ed René Kivitz. Todos os direitos reservados.