14.7.07

O SEMPRE E O DE VEZ EM QUANDO

Outro dia alguém pinçou uma de minhas afirmações para afirmar que eu não acredito em milagres. A afirmação que fiz foi que Deus deseja fazer algo em nós, e não necessariamente por nós. De fato, representa muito do meu pensamento: a principal obra de Deus no humano é a conformação do humano à imagem de seu Filho Jesus, que Paulo, apóstolo, chama de “primogênito entre muitos irmãos”. Mais do que fazer coisas boas para o ser humano, Deus está comprometido em transformar o ser humano, ainda que isso custe deixar ou permitir que coisas ruins aconteçam a este ser humano em processo de transformação. Deus não atua no ramo de “conforto para os fiéis”. Deus atua no ramo de transformação do humano à imagem de Jesus Cristo.

Daí a extrapolar que eu não acredito em milagres é um pulinho. Confundir a ênfase da minha teologia – “Deus faz em nós, e não necessariamente por nós”, com “Deus nunca faz nada por nós”, é até compreensível.

Na verdade, o que pretendo dizer é melhor compreendido quando se dá atenção ao “não necessariamente”: Deus deseja fazer algo em nós, e não necessariamente por nós. Sublinhe o “não necessariamente”. Isso significa que Deus pode fazer e pode não fazer, e que o fazer ou deixar de fazer é imponderável, afetado por muitas variáveis que extrapolam o nosso controle e nosso entendimento. O que acredito, portanto, é que Deus sempre deseja fazer algo em nós, mesmo quando não faz algo por nós. Deus está sempre agindo para nossa transformação, mesmo quando não atua em nossas circunstâncias.

Por esta razão, minha conclusão é óbvia e simples: não devemos pautar nosso relacionamento com Deus na expectativa de que Ele faça algo por nós, mas na certeza de que Ele deseja fazer algo em nós. Quando Ele faz algo por nós, amém, quando não faz, amém também. O que não podemos permitir é que a expectativa de que Ele faça algo por nós nos deixe cegos ou imobilizados para o que Ele quer fazer em nós.

A maioria dos cristãos baseia seu relacionamento com Deus na dimensão “por nós”: o Deus de milagres, o Deus de poder. Alguns poucos baseiam seu relacionamento com Deus no “em nós”: o Deus de amor que nos constrange a viver para Ele e não para nós mesmos, onde viver para Ele implica sempre morrer para si mesmo, tomar a cruz e meter o pé na estrada. O milagre é problema (ou solução) de Deus. A fidelidade é problema meu. Atuar em minhas circunstâncias é o imponderável do mistério de Deus. Atuar em mim é o essencial do propósito de Deus. Você escolhe a base de sua relação com Deus: aquilo que pode acontecer ou não – o milagre, ou aquilo que certamente acontece – a transformação.

11 Comments:

Blogger Carlos said...

Querido Pastor Ed. René,

Suas reflexões são muito ricas e edificam muito a quem se permite lê-las sem colocar paradigmas na frente. Sinto que uma nova forma de tentar entender a Deus está se formando e que temos uma grande jornada pela frente. É muito bom ver que Deus levanta homens durante a história. Homens que quando as coisas estão começando a se perder surgem para nos levar a um novo entender, uma nova forma de buscar a Deus. Precisamos ter um relacionamento com Deus da mesma forma que os homens de fé da Bíblia tinham. Precisamos para de olhar pro nosso próprio umbigo, achar que nós é que somos soberanos e não Deus. Suas reflexões tem edificado muito a minha vida. A Paz , que Deus lhe use como um precioso instrumento para a construção de uma nova tentativa de entendermos Ele.

12:38 PM  
Blogger Lou H. Mello said...

Meu caro, como disse o Mahatma Gandhi, o mundo não gosta dos não alinhados. Sem falar no Mestre Nazareno, ao dizer: No mundo tereis aflições. Deixe que falem, que digam e que pensem. Deixe isso p'ra lá, o que é que tem?
Fazem isso muito mais por dor de cotovelo que qualquer outra razão. Eu olharia isso com um sorriso no canto dos lábios e o levantar de uma das pestanas.

1:29 PM  
Blogger CarlosBezerra said...

Quando nos posicionamos incomodamos.
Paz

1:50 PM  
Blogger CarlosBezerra said...

Este comentário foi removido pelo autor.

1:50 PM  
Blogger Volney Faustini said...

E será que existe maior milagre do que Deus fazendo algo em nós?

No fundo, creio que a nossa transformação pessoal combinada-somada com a relação com o Pai é o grande milagre de Sua graça!

Como comentado anteriormente, o seu posicionamento é claro e lúcido. Valeu!

9:20 PM  
Blogger Vilma said...

Como sempre, os teus textos fazem-me diminuir um bocado mais. E como me sinto bem por isso.
DTA

5:17 AM  
Blogger Pr. Zwinglio Rodrigues said...

Atuando Deus "em nós" ou "por nós", levarnos-a Ele, em um instante ou outro, a contemplação e ao experimento do milagre. O milagre é um instrumento possibilitador, nas mãos de Deus, de mudanças interior e exterior do sujeito. A hora e a maneira dele entrar em cena cabe ao Eterno.

Um abraço.

10:24 AM  
Blogger Alysson Amorim said...

Se por um lado me irritam aqueles que usam um suposto Deus dos milagres para encher templos e cofres, por outro lado entendo aqueles que acreditam sinceramente (pois foram ensinados assim) na imagem de um Deus interventor. Isso justifica a máxima cautela no tratamento da questão. A virtude maior de seu texto reside justamente neste equilíbrio respeitoso.

9:09 AM  
Blogger Exemplo AVERA said...

Muito melhor que um milagre e não precisar dele.
Precisamos de Deus em nós e se eventualmente precisarmos de um milagre, como foi dito, isso é "problema" de Deus e Ele não nega milagre.

2:33 AM  
Blogger Filipe B. Macedo said...

O alvo do evangelho é a restauração da raça humana, transformando assim cada homem num "pequeno Cristo" (= "cristão"), o qual não era apenas "Deus encarnado", mas também o ser humano que todos nós nascemos para ser. Como já ouvi o próprio Ed dizer: "Deus está mais preocupado em transformar-me do que em transformar as minhas circunstâncias". Abraço a todos e que Deua bençoe!!!

6:15 PM  
Blogger chicaro said...

Olá!
Penso que Milagre está ligado a Ter,e crescimento espiritual está ligado a Ser.
Penso,também, que Deus nos fez limitados e imperfeitos,para que ao longo da vida possamos Crescer e assim irmos em sua direção.
É claro que Ele ,com seu Amor incondicional por nós,ao longo do caminho nos dá chance de Ser,de achá-Lo para o nosso Bem !
Por sermos limitados,imperfeitos...humanos,Ele deu-nos seu Filho,que por 33anos tornou-se homem como nós e deu-nos o exemplo a seguir...assim não precisamos sermos "deuses" para ir à Deus...precisamos do exemplo da vida de Jesus Homem para SERMOS !

9:56 AM  

Postar um comentário

<< Home


Ed René Kivitz
Pastor da Igreja Batista de Água Branca (São Paulo), autor e conferencista.
+ Saiba mais


LANÇAMENTO

Os artigos reunidos neste livro não são expressões de rebeldia à ortodoxia cristã, mas de inquietude diante de uma Igreja que...
+ Saiba mais


BEST-SELLER
Vivendo com propósitos apresenta a resposta cristã para o sentido da vida. Tomando como ponto de partida a afirmação de que Deus criou o homem...
+ Saiba mais


-----------------------------------------
  • BOSCH, David. Missão transformadora: mudanças de paradigmas na teologia da missão. São Leopoldo, RS: Sinodal, 2002.

  • XI Semana de Estudos de Religião - Fundamentalismos: discursos e práticas

    PRELETORES: Diversos
    DATA: 2 a 4 de outubro
    LOCAL: São Paulo (SP)
    Para saber mais, clique aqui!
  • "A missão é o sim de Deus ao mundo; a participação na existência de Deus no mundo. Em nossa época, o sim de Deus ao mundo revela-se, em grande medida, no engajamento missionário da igreja no tocante às realidades de injustiça, opressão, pobreza, discriminação e violência."
    David Bosch
  • Clique aqui para conhecer minha igreja. Você é nosso convidado!

Cadastre seu e-mail:

powered by Bloglet

 

 
....Copyright © 2006 Ed René Kivitz. Todos os direitos reservados.