4.1.07

Água viva

Tenho um monte de coisas para fazer, e não consigo produzir. Acho que é o cansaço, coisa de atleta em fim de temporada. Minhas férias estão agendadas, mas ainda estou bem ocupado. Enquanto espero a hora do próximo compromisso me bateu um enfado do tipo “e daí?”. Fui tomado por um sentimento de “chega de coisas óbvias, alguém, por favor, me diga alguma coisa que eu ainda não tenha ouvido, uma coisa nova, me mostre um ponto de vista diferente, me aponte na direção de alguma coisa realmente surpreendente, e me diga como sair desta mesmice previsível”.

De súbito me censurei, dizendo para mim mesmo “e aí, companheiro, tá dando uma de ateniense, que busca novidade e não se satisfaz nunca?”, e depois fui um pouco mais cruel, “você ainda não encontrou a grande novidade? Não é você quem diz por aí que quem se encontra com Cristo mata a sede de vez porque tem dentro de si um rio de água viva?”. Evidentemente, não sou de ficar calado quando esse tipo de confrontação bate na minha consciência e fui logo respondendo que “Jesus coloca um rio de água viva dentro da gente, o que é bem diferente de dar um copo d’água definitivo, que a gente bebe de uma vez por todas para nunca mais ter sêde. A brincadeira não é tomar um copo e nunca mais ter que voltar a Jesus. A graça da coisa não é beber um copo d’água, mas voltar sempre, não apenas para tomar um copo, mas para mergulhar o mais fundo no rio de água viva. Ou a gente mergulha todo dia ou cai mesmo nesse marasmo enfadonho e cinzento que de vez em quando fica bem parecido com escuridão. Então me dá licença, que eu vou vestir um calção!".

9 Comments:

Blogger Felipe Fanuel said...

Muito comovente tal confissão. Creio que aqui não caberia comentário algum. Afinal todos somos dependentes desta água viva. Esta crise existencial é vivida cada dia por aqueles que buscam algo para além da "mesmice previsível". Temos uma necessidade de tanto nos calar como de falar algo cada vez que queremos viver. Essa realidade dialética que nos faz seres humanos, tão resolvidos e tão carentes ao mesmo tempo. Nunca entendo a razão de precisar mergulhar ou cair no marasmo, mas sou levado a tomar decisões existenciais cada vez que me proponho a viver. Por não acreditar que sou dono do meu destino, ou que estou entregue ao acaso, ou que estou à mercê de uma predestinação, é que me entrego a viver esta crise de ser e de não-ser ao mesmo tempo, ad aeternum. Coisas da vida.

2:14 PM  
Blogger Márcio Cardoso said...

Yancey disse que a redescoberta nos toca mais forte que a descoberta; e C.S Lewis disse que precisamos mais sermos lembrados do que ensinados!
Textos, como os seus, que nos fazem dar conta da Saudade em nós nos socorrem!
Obrigado, Ed, por me lembrar a Fonte e como se banha!

4:42 PM  
Blogger Exemplo said...

Vou vestir meu calção também rsrsrs

4:07 AM  
Blogger Giuliano said...

Tenho que admitir aqui que sei muito bem o que é 'cair'...
Hoje, faz apenas alguns dias, venho experimentando a alegria de "aceitar ser aceito" pelo Pai novamente e uma coisa hei de concordar com você e com 'Exemplo': Vou vestir o meu calção também!!!

2:42 PM  
Blogger Felipe Queres said...

Deus nos insatisfaz cada dia mais, porque satisfeitos de nada precisam e se orgulham de nada precisar, enquanto insatisfeitos sempre precisam e se orgulham de sempre precisar.

Que Deus nos dê sede, fome, frio e medo, para sempre precisarmos d'Ele...

5:28 PM  
Blogger Bel said...

É... muita coisa pra pensar. E muitas decisões a se tomar. Gostei daqui, vou volta.

8:55 PM  
Blogger Filipe Guimarães said...

Qual é o cristão sincero que nunca passou por momentos como este?
Diante de tantas opniões e "certezas doutrinárias", diante do ativismo, do ser e do ter que ser...
Preciso do meu calção também.
fui...

7:45 PM  
Blogger SANTOS said...

Pois é PAstor,passei alguns anos "batendo ,como que dando socos no ar"...Mas agora me vi obrigado a vestir o calção também,Abraço...

5:39 PM  
Blogger Lubeck said...

Meus irmãos,

Eu também gostei do comentário e, principalmente, da honestidade dos que se expõe e com coragem confessam essa carência, de todos nós, todos os dias... Que todos pudessem compreender a grande necessidade, a maior de todas! Ou seja, mergulhar nesse rio, na busca dessa água viva para dar sentido à existência. Porque, do contrário, seremos com "nuvem sem água", secos como a palha. Portanto, não precisamos de "novidade", precisamos do Espírito Santo de Deus. Para buscá-Lo, basta se consagrar, orar e, se possível, jejuar. Deus não mudou seus métodos. São os mesmos do passado - Palavra, oração, jejum, louvor.

6:51 PM  

Postar um comentário

<< Home


Ed René Kivitz
Pastor da Igreja Batista de Água Branca (São Paulo), autor e conferencista.
+ Saiba mais


LANÇAMENTO

Os artigos reunidos neste livro não são expressões de rebeldia à ortodoxia cristã, mas de inquietude diante de uma Igreja que...
+ Saiba mais


BEST-SELLER
Vivendo com propósitos apresenta a resposta cristã para o sentido da vida. Tomando como ponto de partida a afirmação de que Deus criou o homem...
+ Saiba mais


-----------------------------------------
  • BOSCH, David. Missão transformadora: mudanças de paradigmas na teologia da missão. São Leopoldo, RS: Sinodal, 2002.

  • XI Semana de Estudos de Religião - Fundamentalismos: discursos e práticas

    PRELETORES: Diversos
    DATA: 2 a 4 de outubro
    LOCAL: São Paulo (SP)
    Para saber mais, clique aqui!
  • "A missão é o sim de Deus ao mundo; a participação na existência de Deus no mundo. Em nossa época, o sim de Deus ao mundo revela-se, em grande medida, no engajamento missionário da igreja no tocante às realidades de injustiça, opressão, pobreza, discriminação e violência."
    David Bosch
  • Clique aqui para conhecer minha igreja. Você é nosso convidado!

Cadastre seu e-mail:

powered by Bloglet

 

 
....Copyright © 2006 Ed René Kivitz. Todos os direitos reservados.